quinta-feira, 16 de abril de 2009

Sim, curvo-me ante a beleza de seràs vezes zombo de mim mesmo ao término de uma inteligente e aguçada constatação.Ermitão do insólito, poeta da dúvidaEntretanto duvido a dúvida por ser dúvidafruto de uma premissa lógica Mas nego, afirmo e não duvido de nadaPrisioneiro sem grade desse silêncio eterno.